PRIVACIDADE NAS REDES SOCIAIS

NÃO PARTILHES A TUA VIDA TODA NAS REDES SOCIAIS

Por vezes, não temos consciência de que podemos partilhar informações na Internet às quais muitas pessoas podem ter acesso, principalmente quando não usamos configurações de privacidade Por isso, pensa bem antes de publicar uma foto ou informação comprometedora nas tuas redes sociais.

Escolhe o que pretendes que saibam de ti

Faz uma gestão cuidadosa daquilo que realmente queres que se saiba sobre ti publicamente. É possível que não queiras que toda a gente veja as tuas fotos da festa de sábado. Para isso, podes escolher o que partilhar e com quem. Não brinques com a tua privacidade!

A minha conta Google:

  • alterar a privacidade para o que mais te convém é muito fácil. Além disso, podes aceder às opções de privacidade e segurança dos teus dados em todas as contas Google muito rapidamente.

Facebook:

  • também permite gerir o funcionamento da tua privacidade. Vai ao ícone do cadeado que aparece no canto superior direito e escolhe.

LinkedIn

  • se não queres que a tua conta apareça nos motores de pesquisa, podes geri-lo no teu perfil em "privacidade e partilha" e assim evitar que alguém te encontre nesta rede profissional.

Twitter:

  • na secção «Privacidade e segurança» tens várias opções para controlar quem te pode marcar, mencionar, ver a localização... e outros dados que talvez não queiras mostrar em público.

Instagram::

  • dada a natureza fotográfica desta rede, a gestão da privacidade pode ser muito útil. Se pretendes configurar os parâmetros de privacidade, deves premir o botão «Definições» e escolher a opção «Conta Privada». Desta forma, só as pessoas que aceitares é que poderão ver as tuas fotos.

WhatsApp:

  • para escolher se queres partilhar a hora da tua última ligação, a tua foto de perfil ou se leste as mensagens, vai a «Definições» (Android) ou «Configurações» (iOS), depois «Conta» e por último «Privacidade».

Uma sentença do Tribunal de Justiça da União Europeia determinou, em 2014, que é possível, mas apenas se os resultados mostrados forem inadequados, irrelevantes ou excessivos.

Se precisares de mais informações, consulta o site da CNPD (Comissão Nacional da Proteção de Dados)

Não deixes os teus dados à solta por aí

Certamente que não deixas os teus álbuns de fotos por aí, à vista de qualquer pessoa. Pois deverias fazer o mesmo na internet, pois a sua distribuição massiva pode ser feita com uma rapidez impressionante. Aprende como controlar quem pode ver as tuas fotos e dados.


As redes sociais facilitam as relações, a comunicação e o poder localizar antigas amizades. Mas cuidado: se não conheces a pessoa que te deseja adicionar como amigo, é melhor não a adicionares, pois pode ser qualquer um. Ou deixas entrar desconhecidos em tua casa? Pois se não deixas a chave na porta, também não o faças com os teus perfis pessoais.

Já te deve ter acontecido mais do que uma vez um amigo ter-te identificado numa foto em que não ficaste bem. Para evitar essas situações, escolhe a identificação tanto das fotos como das publicações. Ou seja, é possível autorizar as publicações em que queres aparecer.

É muito simples, vê como fazer para cada uma das redes sociais.

Facebook vai a «Definições» e depois a «Cronologia e identificação» para selecionares o tipo de identificações que pretendes. Para mais informações, segue esta ligação.

Twitter: vai a «Marcação de Foto» dentro de «Privacidade e segurança».

Instagram: qualquer pessoa pode identificar-te em fotos, a menos que a tenhas bloqueado. No entanto, revê o «Centro de privacidade e segurança» dentro do menu «Ajuda» para veres as diferentes opções de que dispões para preservar a tua privacidade.

Pensa bem antes de dizeres onde estás

Estamos de acordo quanto ao facto de os serviços de geolocalização ou check-in serem muito úteis em alguns casos. Mas contar constantemente onde estamos pode ser utilizado contra nós.
Pode ser muito útil quando temos de partilhar com um amigo a nossa localização, ou quando queremos informar sobre o evento em que estamos nesse momento. O problema surge quando este tipo de informação é aproveitado com más intenções, por exemplo, por ladrões que aproveitam a nossa ausência para entrar em nossa casa.

Se não sabes, nós ajudamos. Mas lembra-te que os passos a seguir dependem do tipo de plataforma que utilizas:

Android: vai à secção «Localização» a partir de «Definições». Podes desligar totalmente os serviços de localização quando quiseres. É fácil!

iOS: permite-te personalizar, dependendo de cada aplicação, ou seja, podes desativar a geolocalização por aplicações. Para isso, vai a «Localização» e seleciona quais as aplicações que queres que mostrem a tua localização. Esta secção encontra-se em «Definições» e «Privacidade».

Windows Phone: podes configurar a tua localização a partir da própria aplicação quando estiveres a utilizar este serviço ou desativá-la por completo a partir do menu «Serviços de Localização» dentro de «Definições».

Firefox: a própria plataforma pergunta-te se pretendes ativar ou desativar a geolocalização. Se tiveres tido algum problema e te tiveres esquecido deste detalhe, não te preocupes, podes desativar a tua localização da seguinte forma: escreve «about:config» na barra de endereços, utilizando o motor de busca que aparece na parte superior, procura a entrada geo.enabled = false e desativa a geolocalização.

Blackeberry: basta aceder a «Serviços de localização» e escolher o estado «Ativado» ou «Desativado». Podes encontrar esta secção em «Definições», dentro do menu «Serviços de localização».

Complicado? Esperamos que não e que a partir de agora tenhas mais cuidado ao divulgar onde te encontras.

Como atualizar o navegador

Atualizar o navegador não custa nada e pode ajudar a evitar possíveis perigos na rede. Por isso, já sabes!

Também te pode interessar...